fluxo de caixa; dicas de gestão
10 dicas para um fluxo de caixa saudável

fluxo-de-caixa

Por mais que pareça óbvio, é importante reafirmar: para que sua empresa cresça de forma sustentável, é fundamental ter o controle do dinheiro, tanto do que entra quanto do que sai do seu caixa. Analisar o fluxo financeiro possibilita a criação de estratégias para o crescimento da empresa ou para reverter as situações adversas.

Mais do que um acompanhamento dos pagamentos e recebimentos no curto prazo, o controle de fluxo de caixa deve ser um instrumento de gestão. O ideal é que um fluxo de caixa eficiente envolva uma visão de médio e longo prazo.

Seguem 10 dicas que poderão contribuir para a saúde do fluxo de caixa do seu negócio:

1. LEVANTAMENTO

Antes de tudo, organize suas informações para

ter com o que trabalhar. Faça um levantamento de suas despesas e receitas, atuais e futuras, planos de investimento e expansão e os organize por natureza: operacional, não operacional e investimentos.

2. PERÍODO-BASE

O fluxo de caixa deve contemplar um horizonte correspondente ao ciclo operacional da empresa. Geralmente é o período de um ano, mas atividades de ciclos mais longos podem exigir um horizonte maior. Empresas que trabalham com encomenda ou por safra, por exemplo, têm ciclos definidos de acordo com a natureza de seus ramos de atuação.

3. DETALHAMENTO

Para o primeiro ciclo operacional, geralmente é feito um nível de abertura das despesas, receitas e investimentos bem detalhado. Daí até o horizonte definido, tais itens são agrupados.

4. ATUALIZAÇÃO CONSTANTE

O fluxo de caixa deve ser atualizado periodicamente, de preferência todo mês.

5. PEZINHOS NO CHÃO  

Evite otimismo nas previsões das entradas e receitas. Tenha em mente que alguns clientes não pagarão em dia ou simplesmente não pagarão, e eles acabarão compondo o seu percentual de perdas.

6. MANTENHA-SE ALERTA E UM PASSO À FRENTE

Antecipe-se a situações que possam impactar seu fluxo de caixa, como atraso na inauguração de um novo setor ou perda de um cliente importante, para que você atue com proatividade no fluxo de pagamentos. Sugestões: negocie com fornecedores um adiamento de vencimento ou a contratação de um empréstimo a taxas mais atrativas, ao invés de ficar com a conta negativa no banco.

7. CONHEÇA SEUS GASTOS

Saiba quais são os custos, o impacto dos descontos e promoções que você oferece e esteja preparado. Tenha em mente o preço ideal para o produto, o custo do que você oferta e a sua margem de lucro, para ter certeza de que não está perdendo dinheiro.

8. CRIATIVIDADE AJUDA

Pense em maneiras de oferecer produtos ou serviços de maior valor agregado e preço mais alto. Exemplo: ofereça gratuidade na primeira hora de determinado serviço, cobrando um pouco mais pelas horas seguintes.

9. FIDELIZE O CLIENTE

Conquistar os clientes habituais pode ser o segredo para seu fluxo de caixa, lucro e crescimento. Programas de fidelidade e ofertas exclusivas são uma boa alternativa.

10. FAÇA PRÉ-VENDA

Para estimular vendas antes do lançamento do item, é recomendável fazer uma pré-venda para que o consumidor se planeje ou antecipe a compra para certa data.

Referências: Sebrae e PEGN